Rio Ticino

Ticino

Bellinzona, Ticino (Svizzera)

Bellinzona, Ticino (Svizzera)

UNESCO-Castelgrande in Bellinzona 2

UNESCO-Castelgrande in Bellinzona 2

Áreas alpinas apropriadas para caminhadas, vales românticos, aventuras aquáticas, paraíso dos pescadores e um toque mediterrânico: a diversidade é uma característica do rio Ticino, que também dá o nome à Riviera do Ticino.

Mapa detalhado

Compartilhe conteúdo

Obrigado pela classificação

Em São Gotardo nascem alguns dos rios mais importantes da Europa, como o Reno e o Ródano. Mais modesto, mas não menos atraente, é o rio Ticino, que perde a sua autonomia depois de percorrer cerca de 250 km no rio Pavia, no norte de Itália, para desembocar no rio Po. Antes de desaguar, corre pelo vale de Bedretto e pelo distrito de Leventina, a planície Magadino e pelo lago Maggiore.

O Vale Bedretto bem como o distrito de Levantina são populares por proporcionarem espetaculares caminhadas com vistas panorâmicas ao longo dos flancos do vale. No Leventina, o Ticino segue as longas transversais alpinas da ferrovia e da autoestrada de São Gotardo, bem como da ciclovia Ticino que percorre agradavelmente o vale.

O comboio necessita de quatro túneis para poder acompanhar a inclinação do rio. Os amantes de canoagem e de rafting encontram aqui o local ideal para as suas aventuras. Nas margens do Ticino esperam-no diversas atrações, como a igreja românica de S. Nicolao em Giornico, ou os três castelos de Bellinzona, património mundial da Unesco. Em direção a Bellinzona, o Ticino atravessa a fértil planície de Magadino até desaguar no lago Maggiore, que volta a deixar em Itália. As margens de Locarno e Ascona são dos destinos mais populares do sul da Suíça.

Destaques

  • Maggia e Verzasca são afluentes selvagens e românticos que desaguam no Ticino; os seus vales são destinos populares do sul da Suíça.
  • O trilho leva-nos de Biasca até à maior queda de água do Ticino: em três socalcos, a queda de água de Santa Petronilla precipita-se no vale.
  • Bolle di Magadino: na zona húmida e natural na foz do Ticino, no lago Maggiore, repousam mais de 200 espécies de aves migratórias, antes do seu voo sobre os Alpes.

Selecione uma visão diferente para os seus resultados: